5 Estratégias para melhorar o pastoreio dos jovens

Vivemos dias em que os nossos adolescentes e jovens são incentivados o tempo todo a realizarem seus desejos e vontades. A mídia reforça o tempo todo essa busca pelo prazer, ignorando os ensinamentos bíblicos que Deus nos dá, nos quais somos levados a buscar pela vontade dEle e não as nossas. Diante deste cenário, consolidar um ministério de juventude é desafiador e o líder precisa de estratégias para auxiliá-lo neste processo.

Não existe receita mágica. Em cada região os jovens se comportam de formas diferentes, têm gostos diferentes e precisam de uma estratégia diferente. Viajando o Brasil pregando para jovens e adolescentes há mais de 30 anos e conversando com diferentes líderes, percebi que existem algumas ações que podem funcionar no seu ministério de juventude. Separei 5 estratégias para melhorar e aperfeiçoar o seu pastoreio de jovens. Que Deus possa te abençoar e te capacitar para exercer seu ministério.

  1. Realizar conferência para os pais dos adolescentes e jovens da igreja.
  2. Criar estudos sobre temas específicos ligados à juventude nos grupos pequenos.
  3. Criar um lugar para os jovens ficarem depois do culto.
  4. Viabilizar apoio da igreja com profissionais da área de psicologia.
  5. Aumentar a equipe de jovens casais para apoio ministerial.

01 – Realizar conferência para os pais dos adolescentes e jovens da igreja

O pastor tem um papel fundamental na vida dos jovens e adolescentes, mas ele não é o mais importante. Pais e mães são os principais educadores de seus filhos e devem ensiná-los no Caminho em que devem andar, para que não se desviem dele quando forem mais velhos.

O problema é que muitos pais não foram instruídos a respeito da palavra de Deus e não sabem o que devem fazer, como se comportar, ou mesmo o que é certo e errado na criação de um filho adolescente. Uma alternativa é que o pastor da juventude, junto com o pastor principal da igreja, faça conferências para os pais desses jovens e adolescentes, capacitando-os para serem pais segundo o coração de Deus.

Um momento em que consigam orientá-los a respeito da fé cristã, dar suporte para seus dilemas e incentivá-los a criar seus filhos nos caminhos de Deus.

02 – Investir nas células e/ou pequenos grupos

Os grupos pequenos ou células devem ser uma extensão da juventude. Eles são partes fundamentais no processo de consolidação dos novos convertidos e uma das formas que os jovens e adolescentes têm para ter comunhão com pessoas que professam a mesma fé que eles. Dessa forma, os líderes vão acompanhar mais de perto aqueles que participam da sua célula, darão mais atenção às necessidades das pessoas e vão discipulá-las para que se tornem novos líderes.

Para que essa integração não seja forçada, aposte em grupos de comunhão por afinidade. Você pode ter uma célula só de mulheres, outra de skatistas, outra de universitários, outra dos integrantes do ministério de louvor e por aí vai. A célula só não pode se tornar uma reunião de departamento. O importante é que o jovem se sinta num ambiente confortável e propício para fazer amizades e aprender mais de Deus.

03 – Criar um lugar para os jovens ficarem depois do culto

Muitos jovens e adolescentes esperam a semana inteira para participar do culto, reencontrar os amigos e ter um momento de comunhão com Deus. Como o culto tem uma liturgia que precisa ser respeitada, eles ficam na expectativa do final do culto para conseguir sair, fazer um lanche e conversar com a galera.

O problema é que muitos desses jovens não têm recursos para sair depois do culto. Falta carro, falta dinheiro, falta carona, e acabam voltando para suas casas assim que acaba a ministração. Quando o pastor e a liderança propõe atividades depois do culto, eles propiciam esse ambiente para a galera. Pode ser um festival de torta na cantina da igreja, uma festa no estacionamento com bastante música animada ou mesmo uma vigília de oração.

04 – Viabilizar apoio de profissionais da área de psicologia

Promover a saúde mental e a prever transtornos de ordem psíquica são fundamentais para ajudar adolescentes e jovens a encarar a realidade da vida. Depressão, ansiedade, distúrbio de ansiedade generalizado, distúrbio do pânico, transtorno bipolar, transtorno afetivo, esquizofrenia, dentre outras doenças, atingem 300 milhões de pessoas em todo o mundo (Organização Mundial da Saúde – OMS). Uma das coisas que mais atrapalha o trabalho com juventude é o despreparo dos pastores e líderes quando precisam tratar problemas de ordem psíquica de suas ovelhas.

A falta de recursos, a falta de profissionais treinados e o preconceito social associado aos transtornos mentais são alguns dos pontos que mais chamam a atenção diante do cenário. Uma igreja saudável precisa de uma juventude com saúde. Ao criar um banco de profissionais da área de psicologia, a igreja consegue dar mais atenção às necessidades dos jovens que passam por esses problemas, e pode capacitar os líderes e pastores para que tenham estratégias na hora de aconselhar e/ou pregar sobre determinados assuntos.

05 – Convocar os jovens casados para se envolverem ministerialmente no trabalho com jovens

Um dos grandes desafios de um líder de juventude é falar uma linguagem que seja aplicável para sua juventude. Normalmente, as igrejas que têm os departamentos bem segmentados têm cultos específicos para crianças (05 a 11 anos), adolescentes (12 a 18 anos) e jovens (a partir de 19 anos). Neste último grupo, é muito desafiador conseguir dialogar com aquele jovem que acabou de sair do Ensino Médio e está prestes a começar uma faculdade, com aqueles que estão prestes a começar uma vida a dois e planejando ter uma família. São dois universos muito distintos e que o líder precisa ter equipes que consigam dialogar e atender mais pontualmente suas demandas.

Invista em uma equipe que vá ajudar na transição dos adolescentes para os jovens, que vai ajudar os mais jovens a darem os primeiros passos na vida acadêmica, que consigam dar um suporte nas suas escolhas profissionais, que consigam orientar àqueles que estão no início do namoro, mas também aqueles que já estão noivando e planejando se casar. E, acima de tudo, uma equipe que consiga inspirar os jovens a viverem uma vida devoção a Cristo, independentemente do momento que eles estiverem passando na vida.

Liderança de jovens e adolescentes
Foto: Naassom Azevedo. Unsplash.com

E-book Os 20 maiores erros cometidos no trabalho com juventude